Tecnologia nas baladas

Elas ajudam a festa a ficar mais interativa e com maior qualidade. Os DJs vão precisar se atualizar - e rápido.

Todos sabem da corrida por novas tecnologias que está acontecendo no mundo todo com relação aos DJs.

Aqueles caras, que antes eram mal falados, agora são foco de atenção de muitas multinacionais ligadas diretamente à tecnologia. Um exemplo disso são as novidades que foram mostradas na NAMM 2011 ( National Association of Music Merchants), uma das mais importantes e esperadas feiras tecnológicas do mundo, que aconteceu em janeiro.

Os novos programas e aparelhos estão sendo criados de acordo com exigências de profissionais experientes e multitarefa.

Assim, existirá uma barreira entre o profissional e o aventureiro: se, antes, as chamadas "escolas de DJs" ensinavam somente a encaixar batidas, agora deverão ensinar muito mais do que isso: novos nomes, ações, tipos de aparelhos, ligações, compatibilidade, entre outras coisas que os softwares necessitam.

Para o público, isso é ótimo: vai resultar em mais qualidade e melhores atuações de DJs, que devem ficar menos enlatados e mais informados. Aqueles que pararem no tempo sumirão, o que criará uma peneira natural dos fatos: o DJ talentoso fica, o aventureiro sai.

Nas baladas, teremos DJs mais criativos, performáticos e interativos. Imagine uma balada em que o DJ receba um torpedo no celular exclusivo da balada com o pedido de uma música.

Se ele não tiver naquele momento, irá baixar pela internet móvel ou wireless em poucos minutos, e tocar para quem pediu.

Ou um DJ que utilize um dos decks para tocar uma versão instrumental e os outros tocando acapellas famosas.

Tudo é válido pela criatividade. As baladas serão verdadeiras atrações de qualidade, além de ter gente bonita e divertimento. Viva a tecnologia!

Fonte | Guia da semana

Tecnologia nas baladas
Compartilhar